Busquemos o conhecimento, pois este é o único que se carrega pela Eternidade.

29 de jan de 2018

Estratégias de Fuga



As experiências vividas dentro da esfera dos relacionamentos sempre nos exigem superação - superação do medo, da vingança, do controle, da vergonha etc. Somos constantemente chamados a tomar consciência das partes negadas de nossa personalidade, para então purificá-las porque sem isso não podemos encontrar a fonte do amor dentro de nós mesmos. E ao evoluirmos no processo de purificação, começamos a encontrar a verdadeira autoconfiança, que no permite percorrer o caminho da ascensão.
Por isso o relacionamento traz muitos desafios. Já tivemos a oportunidade de abordar alguns deles anteriormente, mas os desdobramentos são muitos e, nesse caminho do resgate da autoconfiança, inevitavelmente precisaremos correr riscos, para os quais nem sempre estamos prontos. Então, muitas vezes, voltamos a fechar o coração e a fazer uso dos velhos mecanismos de defesa. Voltamos a agir no padrão antigo.
As principais estratégias de fuga se manifestam como necessidade de variedade (uma compulsão de trocar de relacionamento), esfriamento do fogo erótico (perda de interesse pelo outro) e isolamento (não se relacionar). Essas são as estratégias que o orgulho encontra para impedir a revelação. Por meio delas, tentamos nos manter na periferia, ou seja, não nos permitimos tocar o centro, o âmago do outro e, literalmente, não nos permitimos sermos tocados por ele. É preciso ter coragem para abandonar as defesas e se permitir chegar próximo do centro. É necessária ainda mais coragem para deixar o outro trocar nosso centro, para revelar-se. E como já disse: sem revelação, não há intimidade. Sem intimidade, não há aprofundamento do amor.



Para que o aprofundamento ocorra, é necessário certo grau de entrega, ou seja, é preciso ter confiança, lealdade e fidelidade. Para aprofundar-se numa relação, você precisa estar focado, você tem que estar olhando para uma direção. Porém por conta da repressão sexual, muitas vezes não é possível se comprometer nesse grau.
Ocorre que a pessoa que foi muito reprimida tem curiosidade de conhecer aquilo que foi proibida de conhecer. Com isso, a variedade sexual acaba sendo um alívio para ela, um alívio para a libertação da repressão. Então, se você se encontra nesse estágio, o melhor é não se comprometer. Se fizer isso, você estará somente alimentando o círculo vicioso do sadomasoquismo e criando karmas desnecessários, já que estará prometendo dar algo que não tem para dar, algo que não pode cumprir.


Trecho retirado do livro: "Amar e Ser Livre - Sri Prem Baba"