Satsang com Sri Prem Baba, 21.01.11 - Índia 2010/2011

Satsang, 21.01.11 - Índia 2010/2011

Temas: O poder da vocalização do mantra prabhu ap jago / O poder da oração.
Video no Youtube
(prabhu ap jago)
Essa é uma prece muito poderosa se você faz com consciência nas palavras. “Deus desperte em mim”. Porque o ser supremo está dentro de você, mas encontra-se adormecido no sonho do apego. O que sobra é essa partícula de consciência objetiva que faz com que você consiga chegar até aqui e que te estimula a buscar. Essa parte consciente que se compromete com o despertar. É essa parte que pede. Por isso dizemos que existe um véu de separação entre você que é o eu consciente e o ser supremo que está ai. Quando eu falo que ele está adormecido é sinônimo de dizer que existem camadas entre você e ele. Você que é o eu consciente, invoca o ser supremo. “Ser supremo, acorde em mim; acorde em todos. Deus desperte, desperte em mim, em todos e em todos os lugares.” Esse é o significado desse mantra: PRABHU AP JAGO PARAMATMA JAGO MERE SARVE JAGO SARVATRA JAGO. Isso quer dizer: Abra meu coração porque eu não sou capaz de fazê-lo. Estando meu coração aberto, eu lhe peço abra o coração do meu irmão. Que todos possam ser instrumentos do amor divino.
Esse é o mantra que Sachcha Baba recebeu quando estava em profunda meditação num templo em Jaganatha. Foi quando ele teve a completa compreensão do seu Dharma. Ele encarnou para realizar esse mantra, somente para isso. Esse mantra é a sua promessa e é o que sustenta sua consciência presente nesse plano. Durante doze anos esse mantra foi cantado durante vinte e quatro horas por dia. Depois um devoto trouxe um complemento que ele aceitou: DUKANTA KA KHEL KAA ANT KARO SUKANTA KA KHEL PRAKASH KARO. “Acabe com o jogo do sofrimento e ilumino o jogo da alegria”. Mesmo quando essa vigília de vinte e quatro horas foi interrompida, em todos os ashrams da linhagem ele continua sendo cantado diariamente, como uma vigília em prol do despertar de Deus no mundo. Esse é o chamado do santo para que o ser supremo que habita em você acorde. É esse canto que te atrai até aqui. Esse é o chamado dos santos o que equivale a dizer: levanta-te e anda em direção ao santo que vai te dar o ensinamento para que você se liberte. Porque os rishis (os sábios homens que se realizaram na verdade) já estiveram no vale do sofrimento. Quando eles olham para a humanidade e vê o sofrimento, seus corações transbordam de compaixão. Eles querem que os filhos da Terra despertem, que todos acordem. É impossível querer a realização somente para si mesmo. É impossível ser feliz sozinho. Você quer que todos acordem e que todos possam experienciar a alegria sem causa; que todos possam ser felizes. É essa compaixão que sustenta o nosso trabalho. E é essa compaixão que faz com que estejamos unidos aqui nessa manhã. Estamos aqui cantando para que Deus desperte em cada um de nós e para que esse mesmo Deus desperte em todos os filhos da Terra. Que o nosso coração se abra para todos.
Então, eu convido vocês a cantarem mais uma vez esse mantra com consciência para fazer dele uma verdadeira oração. “Que a realidade suprema desperte em mim; que o amor divino desperte em mim; que o amor desinteressado desperte em mim porque Deus é amor; Deus é verdade; desperte em todos e em todos os lugares”.
Eu faço outra tradução do cântico do mantra Prabhu AP Jago: Quando dizemos Deus desperte em mim, em todos e em todos os lugares é o mesmo que dizer “que eu seja um contigo; que a nossa ligação nunca seja quebrada; que cada palavra que saia da minha boca seja a expressão do teu santo verbo; que cada ato por mim praticado seja a expressão da tua santa vontade”. E que isso seja para todos. É uma oração pela unidade. Todo o mantra é perfeito. Veja a perfeição desse mantra. Você pede para a unidade acordar em você, mas também pede para acordar no seu irmão. Ele te ajuda a cortar o nó do egoísmo que é a principal trava para a evolução da consciência.
De uma forma geral o ser humano não fala a verdade, não acredita em Deus e só pensa em si mesmo por isso todos tem medo da morte. Essas são as quatro travas que impedem a evolução: não falar a verdade; não acreditar em Deus (não ter a experiência de Deus); só pensar em si mesmo e ter medo da morte. Mas a trava central é só pensar em si mesmo, é você girar em torno do seu próprio umbigo. É isso que sustenta a sua falsa identidade.
É tremendamente poderoso rezar pelo seu irmão. Rezar para que o outro seja feliz; para que ele esteja em paz; para que ele tenha saúde; para que ele seja próspero e se realize em Deus. Esses são sinônimos; outra forma de dizer “Deus desperte em todos”. É muito poderoso rezar pelo seu irmão. Por aquele que você ama e por aquele que você não ama. Muito mais poderoso é orar por aquele que você realmente não ama. Você tem que atravessar a nuvem de ódio, mágoa e ressentimentos, ir além dessa idéia tão limitada de que você é uma gotinha que fica ofendida pelo tratamento do outro. Tão ofendida porque o outro disse que você é feio, que você não é tão bom assim. É tudo mentira. Não é nada disso. Você não é essa gotinha. Você desperdiça a sua vida porque o outro disse que você é uma gotinha feia. Passa a sua vida se sentindo inferior, se sentindo menos, tentando se fazer mais, porque tem que mostrar para o outro que disse que você é feio. Tem cabimento isso? Que novelinha mais barata.
Quando eu falo que o parivartam, a grande transformação planetária promove a transição do medo para a confiança, é verdadeiro dizer também que é uma transição do egoísmo para o altruísmo. Quanto mais a sua consciência se expande, mais você sente compaixão, mais você quer que o outro seja feliz de forma desinteressada. Eu sinto que todos vocês que estão conectados com essa linhagem de alguma maneira estão caminhando para fazer desse mantra um sadhana. Para poder cantar esse mantra com verdade. Imagine o poder disso? Se um homem sozinho cantando esse mantra pode influenciar milhares de pessoas, imagine milhares e milhares de pessoas cantando esse mantra. Ai a gente começa a fazer diferença nesse mundo.
Ai quem sabe a gente pode até evitar que nesse mundo aconteçam coisas como essa:
( Prem Baba lê uma mensagem de uma discípula): ontem o pai de uma amiga minha se matou pulando de uma ponte. Isso acontece. As pessoas não agüentam. Tem muita gente nessa loucura. Todos nós estamos buscando um viver e um morrer orgânicos, mas as vezes o descompasso entre o mundo interno e o mundo externo é tão grande; o descompasso entre o ser e o que a personalidade está passando é tão grande; o programa da alma e o que o ego está vivendo é tão distante um do outro, que a pessoa rompe, ela simplesmente não agüenta. Isso é porque Deus está dormindo. Mas, o programa do despertar está lá. Nós encarnamos com esse programa, mas quando chegamos aqui, nos esquecemos. Você vai atrás da apsara e se esquece de levar água para Vishnu*. Essa é uma história que eu contei há alguns dias atrás e que fala sobre a distração que impede a realização do programa da sua alma. Você segue os condicionamentos e não o seu coração. Então, chega uma hora que ocorre uma cisão. Seu coração está querendo te levar para uma direção e sua mente condicionada está querendo ir para outro. Chega uma hora que você rompe; você quebra. Então, se você se coloca a rezar de verdade para que todos acordem; se pode fazer essa corrente crescer, é claro que faz diferença. Isso é uma lei da física. Então, lembre-se de uma vez por dia fazer uma oração para o seu irmão.
Eu tenho insistido na importância de se harmonizar com a sua constelação familiar para que você possa irradiar a luz do centro para a periferia para criar essa harmonia com as pessoas que estão no seu circulo menor para poder irradiar para o circulo maior. Para derrubar as barreiras que te separam da sua constelação familiar, para que a sua oração pela sua família maior seja de verdade, não seja uma coisa do seu ego espiritual. Com essa verdade não há como não acontecer um milagre. Se você está completamente inteiro – pensamento, palavra e ação unidos num único bloco -,  você se torna um raio de realização. Sua oração tem um tremendo poder. A sua palavra passa a ter poder. Seu pensamento passa a ter poder, pois são os seus sentimentos e suas palavras que originam. Já tem poder mesmo com você dividido assim, toda essa miséria que está lá fora. Imagine se você está unido com o pensamento, palavra e ação em direção a luz. Assim a gente começa a sentir entusiasmo de acordar de manhã e começa a fazer sentido estar nesse plano. Ai eu vou começar a ver vários estabelecendo votos de bodhisatva. Muitos estarão comprometidos com a transformação do sofrimento em alegria.
O bodhisatva estará aqui enquanto houver sofrimento. Sachcha Baba é um bodhisatva. Ele ficará enquanto houver sofrimento. Ele vai de um corpo para outro. Assim são os seres divinos. Ai,  estamos começando a entrar no reino divino; estamos começando a ascensão do plano humano para o plano divinal. Essa é a idéia de criar um Satya Yuga, a era de ouro, dentro do Kali Yuga, a era da ignorância. É fazer da Terra um reino celestial. Isso somente é possível se tem amor. O amor é que transforma o humano em divino. O amor é o quinto elemento; é o elixir da longa vida; a pedra filosofal que transforma o chumbo em ouro. O chumbo é ignorância, o ouro é a consciência, a sagrada sabedoria. O que promove a ascensão é o amor e esse amor tem que ser iluminado. Por isso eu ensino o caminho. Primeiro a purificação para iluminar o perdão que ilumina a gratidão, que ilumina o amor. O amor pela Terra e todos os seus filhos. Se o amor é iluminado, ele ilumina a liberdade. Então, você ascende. É muito lindo.
Tudo isso você já sabe, mas se esqueceu. Por isso, quando você me ouve, faz sentido para você porque sua alma já sabe de tudo isso. Você só anda esquecido. Você vem aqui para se lembrar. É a única razão: lembrar de seguir o seu coração.
Eu compreendo que alguns ao ouvirem essa mensagem sintam-se muito angustiados porque se sentem muito longe do amor; há muitas camadas encobrindo esse amor. O coração está muito cheio de mágoas e ressentimentos. Ainda tem muita dor no seu sistema e parece um desafio sobre humano rezar para o seu irmão principalmente para aqueles da sua constelação familiar. Eu apenas lhe digo: tenha calma. Eu estou cuidando de você. Devagar nós chegamos lá. Daqui a pouco conseguimos transformar esses karmas e você poderá abrir o seu coração e curar essas feridas, amando a quem está por perto e, depois, amar a todos. Essa é a transição do egoísmo para o altruísmo.
Tudo isso é a compreensão que esse mantra me trás. Quanto mais você vai se entregando para esse amor, quanto mais vai se abrindo para se tornar um canal do divino, mais desapegado você fica; mais livre você fica. Até que você se torna um louco de Deus e tem que fazer até um esforço para se compor no mundo. Hoje eu estou conseguindo fazer o meu sacrifício que é usar a palavra. Eu faço isso por compaixão. Esse é o meu sacrifício: transformar a verdade em palavras. Imagine! É quase impossível. Eu tento o meu melhor. Às vezes eu consigo.
Pois é, vamos seguir, nos lembrando de rezar. O poder da oração é tremendo quando é consciente. Eu vejo um tremendo potencial nesse grupo. Eu vejo muito amor aqui. Nós podemos fazer muito por esse planeta e já temos feito, eu reconheço. Eu reconheço o seu valor e suas realizações. Eu tenho ouvido as suas preces. Quando a prece é sincera, ela chega e ajuda as pessoas que você nem pode imaginar. Não há limite de tempo ou espaço. Um raio de amor ilumina a escuridão mais antiga que for. A escuridão de uma caverna, uma escuridão milenar. Uma fresta de luz chega, acaba a escuridão porque ela é somente a ausência da luz e a luz é o amor que pulsa no seu coração.
Para sempre, para sempre
Amigo do meu irmão
Que ele é a minha luz
Nesse mundo de ilusão

Um dia destes eu estava em Maui fazendo um trabalho com os meus amigos e eu tive uma memória de algo que eu havia esquecido. Um encontro que eu tive com o Dalai Lama que foi muito abençoado, com alguns líderes espirituais e cientistas. Nós nos encontramos, para tentar achar caminhos para a violência no mundo. O Dalai Lama nos contou uma experiência que me tocou profundamente. Ele contou a história de um Lama tibetano que ficou preso em uma prisão chinesa por 18 anos. Ele foi severamente torturado. Depois desses anos todos, Dalai Lama perguntou a ele: “Durante esses anos, qual foi o maior medo que você passou? Ele disse: “O meu maior medo era de perder a compaixão pelos chineses”. Quê exemplo. É uma boa referência. A gente não suporta nada, nem que o outro pise no nosso pé. Você não suporta que o outro fale que você não é bonito.
Este é o resumo de toda a história. Eu estava pedindo para Deus me libertar. Quanto cantei assim:
Um pedido agora eu faço
Para eu poder renascer
E acordar realizado
Bem juntinho do poder

Mãe divina e soberana
Voz que tem todo o poder
Ilumina a minha vida
Vou eterno agradecer.

E esta foi a resposta:
O caminho vou seguindo
Com firmeza e com amor
Me entregando a vontade
Do supremo Cristo eu sou

Meus irmãos o tempo é este
De pulsar o puro amor
E o Caminho do Coração
É quem nos dá essa flor

Me alinhando com a verdade
Daquilo que eu sou
Só posso é dizer contente
Eu sou o puro amor

O meu pai é maravilha
Minha mãe é um primor
Sou o filho abençoado
Do mistério do amor

Vou cantar todas as glorias
Do império do amor
Auxiliando o meu irmão
Que ainda não enxergou

Por aqui vou encerrando
Este cântico do amor
A entrega eu faço a Deus
Ao Cristo que Eu Sou

(hino do Estrela do Amor)
Essa é uma oração de Deus para Deus. O ser supremo na forma de Vishnu é o conservador do amor. Vamos cantar bhajans agora.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTE
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário