30 de mai de 2013

Vivendo Sem Luz Elétrica – Para Além Da Necessidade Imposta

Encontrei esta publicação e entendi que seja muito bom compartilhar com vocês!
É um assunto bastante amplo e de total importancia para nós, que muitos não tem acesso a uma viva mais natural tendo contato direto com nossas raízes primordiais.



Fonte: http://pensandoaocontrario.blogspot.com.br
Por: Camila Gomes Victorino


Imagino que a maioria dos leitores tenha nascido em um mundo completamente preenchido por luz elétrica e desde pequenos nós somos tão acostumados a ligar a luz, quando anoitece, e a usar aparelhos eletrônicos de noite, que parece até impossível imaginar um mundo sem luz elétrica. A eletricidade em si trouxe com ela tecnologias que vieram facilitar a vida, como os eletrodomésticos, mas o seu excesso nos fez esquecer de aprender a apreciar a escuridão e o silêncio noturno, causando, além disso, problemas de desregulação de nossos ciclos naturais por conta das luzes acessas tarde da noite.

De fato, nosso organismo possui um ciclo biológico que é regulado pela luz solar. Ao anoitecer, a glândula pineal passa a produzir grandes quantidades de melatonina, que somente é produzida no escuro. Esta é um importante anti-radical livre, limpando o organismo de radicais produzidos durante o período diurno. Ao amanhecer, esta substância pára de ser produzida. Com a luz artificial, este ciclo torna-se desregulado e atualmente, mesmo que queiramos ficar no escuro, a iluminação da rua não permite propiciar plenamente da escuridão, modificando nosso ciclo biológico. Atualmente, associações não governamentais lutam para acabar ou conscientizar a população sobre a poluição luminosa. Isto porque a luz, como reguladora de ciclos biológicos desregula os ciclos dos animais e atualmente tem sido relacionada a doenças imunes e câncer.

Este excesso de luz não invalida de nenhuma maneira os pontos positivos que a eletricidade nos trouxe, porém é importante refletir sobre a real necessidade de alguns produtos movidos a eletricidade em nossa sociedade e um dos produtos que acredito ser um de menos necessidade é a luz elétrica.

Como vivemos em um ambiente cercado por luz, não conseguimos conceber viver sem ela de noite. Diz-se que ela dá segurança, que ela permite aproveitar melhor o dia e inclusive ler e estudar em um momento em que estaríamos dormindo, mas nem tudo isso é verdade! Vamos imaginar, por exemplo, que ao invés de acordarmos às 7h00 ou 8h00, acordássemos 4h30 e esperássemos o nascer do Sol. Se acordássemos cedo, estaríamos com sono aproximadamente às 8h30 da noite, ou seja, o período no escuro seria relativamente pequeno, em torno de 3 horas, e teríamos aproveitado de 8 horas de sono. De fato, apenas achamos a luz elétrica tão necessária porque o modo de funcionamento de nossa sociedade se baseia em um intervalo similar a este, porém deslocado para o período noturno, o que poderia ser facilmente modificado se prezássemos mais pelo bem-estar dos indivíduos e da natureza. Além disso, nossos hábitos nos direcionam cada vez mais para uma vida noturna agitada, muito em parte devido ao excesso de trabalho diurno a que somos impostos, sobrando somente a noite para nos divertirmos um pouco. Esta mesma agitação tornou as ruas agitadas de noite, trazendo problemas de segurança por sermos forçados a estar fora de casa em período noturno.

Claro que é fácil falar que a luz elétrica é mais um inconveniente do que um conveniente e dizer que tudo se resolveria mudando o funcionamento da sociedade, acabando com a violência e outros, porém o intuito deste texto vai além disso pois quer mostrar que algumas necessidades só existem devido a um hábito a que fomos submetidos desde pequenos. Do mesmo modo, imagino que crianças nascidas nesta década não conseguirão conceber um mundo sem internet, mas ele existiu, nós vivemos nele e nós vivíamos muito bem, utilizando outros meios para nos comunicarmos.

Como no caso da internet, é assim para a luz. Quem já não passou por momentos agradáveis com a família quando da queda de energia em seu bairro? Ao invés de assistir televisão, ligar a internet, ouvir música e não notar os arredores pelo excesso de iluminação, nós estávamos com a família, conversando e contando histórias. É possível que este contato humano só tenha acontecido pouquíssimas vezes em nossa vida conectada e deixo aqui a reflexão sobre a real importância da luz elétrica e a real importância de sua ausência igualmente.

É evidente que a eletricidade é útil para muitas outras coisas, como geladeiras, máquinas de lavar, liquidificadores, bombas de água etc, mas vamos considerar que algumas coisas movidas a eletricidade mais prejudiquem a nossa saúde, as nossas amizades, o contato com o nosso interior do que se pode imaginar!

Faça uma experiência! Fique uns dois sem luz elétrica! Organize-se com sua família ou amigos para viver um fim de semana movido apenas à luz de velas ou até à escuridão, por que não? Ainda não é possível para todos modificar a sua rotina para sempre poder apreciar o nascer do sol e ir dormir cedo, até porque muitas atividades, atualmente, são feitas à noite; porém é possível melhorar nossa percepção sobre a importância da escuridão em nossas vidas e igualmente do silêncio, que foi morto pelo excesso de motores que giram em nossa sociedade. Desliguem as luzes, acendam as estrelas e notem que entenderemos melhor a nossa real missão no mundo, quando olharmos para a luz interior que se acendeu no silêncio deixado pela falta da luz elétrica.

Paz!