Satsang com Sri Prem Baba, 17.01.11 - Índia 2010/2011


Satsang, 17.01.11 - Índia 2010/2011

Temas: A entrega, o sadhana de Sachcha Baba / Irradiar energia para os outros / Visão de uma comunidade espiritual.
Este é um sadhana muito simples, você conecta o seu coração com o coração do guru e pouco a pouco as pergunta vão desaparecendo. Aos poucos vamos aprendendo a não alimentar o eu sofredor. Quando ele começa a se insinuar, você coloca a atenção no sol, na lua, nas estrelas, na floresta, no vento, no mar... Não como uma negação, mas como um ato consciente. Você está deixando de alimentar um eu já identificado, já reconhecido.
“Firmei-me no sol e na lua
Firmei-me na Terra e no mar
Firmei o meu pensamento
Nas estrelas, no vento
E firmei em meu pai”
Quando você se conecta com o guru, é o mesmo que se conectar com o sol, a luz e as estrelas. Quando a conexão se completa é o mesmo que dizer que o seu sadhana se completou. Ai você está sempre em alegria e não precisa fazer mais nada.
Por isso o sadhana de Sachcha Baba é um caminho em direção a entrega. Se você se entrega de verdade você se ilumina. Foi isso que eu aprendi, esse foi o caminho que eu trilhei. Foi assim que o meu sadhana se completou. Para a mente isso parece ser impossível, principalmente se ela está muito condicionada; se carrega muitos programas de medo e defesa. Então antes de ingressar nesse sadhana tem um trabalho psicoespiritual a ser feito.
No começo Maharaj ji falava: “Somente conecte o seu coração com o meu coração”. Eu tentava, mas era mental porque eu não sabia me conectar com o coração. No mais profundo eu não entendia o que ele estava falando ou, no mais profundo, eu não queria entender o que ele estava dizendo por que minha mente estava condicionada, cheia de desconfiança e medo. “Como assim entregar? Entregar o que? Quer dizer que eu vou deixar de cuidar da minha própria vida?”.
“É devagar, é devagar; Os caminhos do senhor, é devagar”.
Pouco a pouco a compreensão vai iluminando a sua mente. Na medida em que você vai se libertando da dúvida, que é filha do medo. Devagar nós perdemos o medo do amor. Perdemos o medo de ser levado pela correnteza do amor.
Maharaj ji não quer tirar a sua individualidade, ele quer apenas cortar os nós do ego.
O nó que determina que você diga: “Eu faço, eu mando”. O nó do “eu” e do “meu” que é o nó da separação.
Eu recebi um recado que diz que o filho do homem da cozinha sofreu um acidente e teve um traumatismo craniano. Então, quando um semelhante está em sofrimento, a gente irradia luz e amor. Mas, nós devemos nos preparar para irradiar sempre porque a cada instante tem alguém sendo machucado; tem alguém deixando o corpo. A todo instante tem alguém precisando de energia. Se você entra no drama, você não pode ajudar. Você pode ajudar apenas se você permanece no centro. Mas, entrando no drama você aumenta o sofrimento. Além de tudo que a entidade está passando, ela ainda recebe a sua carga de emoções negativas.
Eu estou trabalhando para que vocês estejam em condições de irradiar luz e amor sempre para todas as pessoas necessitadas, para todas as regiões do mundo que precisam. Eu estou trabalhando para que todos os nossos centros sejam centros de emissão de luz. Conforme a sua consciência vai se expandindo você pode inclusive localizar as regiões que estão mais necessitadas e concentrar a energia e irradiar para aquela região. Esse é o meu plano. É assim que eu visualizo uma comunidade espiritual, um ashram. Conforme você vai purificando e descondicionando a sua mente e vai se tornando um com o eterno, o nosso trabalho se torna unir forças para ajudar o todo. Vamos aprender a trabalhar com a energia; aprender a amplificar a energia no seu sistema psicofísico utilizando adequadamente a sua mente para poder irradiar energia potencializada. Isso nós faremos em grupo. Essa prática tem um tremendo poder.
No futuro eu nos vejo trabalhando assim. Quanto mais você dá, mais você recebe. Você não dá querendo receber, mas trata-se de uma lei: quanto mais você dá, mais você recebe. E o fluxo se torna mais intenso. Eu estou preparando todas as pessoas que chegam até mim para trabalhar dessa maneira. Primeiro eu trabalho para purificar, depois eu trabalho para te ensinar a aumentar a sua energia e depois para sustentar o êxtase, ou seja, sustentar a energia e depois irradiá-la. Tem a irradiação que é feita através dos seus dons e talentos, o trabalho que você faz no mundo. Algumas pessoas irão fazer esse trabalho no mundo, mas alguns ficarão na comunidade do ashram fazendo esse trabalho. Nós estamos fazendo isso. Aqui tem uma vigília que acontece 365 dias do ano. Todas os mantras, as preces, pujas e todas as práticas que fazemos aqui estão a serviço de ajudar o mundo todo. Esse ashram é um micro universo. Tudo que acontece aqui acontece no mundo e vice-versa. Nós já estamos trabalhando para a cura mundial. O quanto mais consciente você está dessa prática, mais você pode irradiar. Quanto mais consciente você está, mais você pode aprender a usar o seu aparelho para potencializar a sua energia e emaná-la. Você se torna um curador, ou melhor, você se torna uma luz: por onde você passa, ilumina.
Imagine o poder de todas essas luzes atuando juntas, conscientemente e intencionalmente irradiando. Isso tem um grande poder.
Pergunta: Prem Baba, você falou para não entrarmos no drama do outro, mas isso pode se tornar um drama em si mesmo, pois você se torna frio em relação ao drama do outro.
Prem Baba: Eu estou ensinando o caminho do fio da navalha. A linha que separa uma coisa da outra é muito fina realmente. Com a mais sutil falta de cuidado você se torna indiferente em relação a dor do outro. Não é disso que estou falando. Não estou falando sobre a indiferença. Estou falando sobre um elevado grau de compaixão, quando o seu coração está transbordando de amor suficientemente para você não alimentar o drama do outro e para colocar limites no vitimismo e no jogo do sofrimento. Quando você está agindo com o coração, você sabe o momento de acolher, o momento em que precisa colocar a pessoa no colo e o momento em que você precisa falar “acorde! Chega! Ap jago!”. Acorde desse sonho ruim onde você é uma vítima. As vezes a entidade precisa cristalizar essa vítima, então você precisa acolher e por no colo, mas as vezes você precisa simplesmente cortar porque você está alimentando um vício. Você somente vai saber o que fazer se você estiver no centro. Se você não estiver no centro você se perde no outro.
Pergunta: O que você que dizer com cristalizar a vítima?
Prem Baba: O ego precisa estar fortalecido suficientemente para poder ser integrado. Muitas vezes a pessoa está num estágio de tamanha fragilidade e está tão delicada na identificação com a vítima e se você não dá a energia que ela está precisando, a pessoa desintegra, ela surta. O que ela precisa é de acolhimento. Ela está precisando da sua energia. Ela pode estar tão longe do entendimento disso que seria bastante cruel não dar essa atenção. Por outro lado, se a pessoa já tem esse aspecto bastante cristalizado, você precisa cortar. Somente um coração com tamanha compaixão pode ser tão cruel. A pessoa chega chorando e você diz para ela tratar de se levantar e colocar atenção no que interessa.
Como você pode estender essa ajuda para o outro? Como você sabe que o outro está precisando de energia ou de um limite? Quando você se conhece o suficiente. O outro é um espelho. Se você se conhece, você conhece o outro. Conheça-te a ti mesmo e conhecerás o universo.
Mas, eu estava falando sobre uma visão que eu tenho de futuro. Um centro de iluminação universal. Esse ashram é um centro de iluminação universal, mas nós podemos aperfeiçoar ainda mais a emissão da luz na medida em que você vai aprendendo como trabalhar com a energia. Eu quero te ensinar isso. E já estou te ensinando devagarinho. É que os assuntos precisam ir e vir.
A Austrália está precisando de energia então vamos concentrar toda a nossa energia e mandar para lá. O Brasil está precisando de energia. Estão querendo construir uma hidrelétrica no meio da floresta então vamos mandar energia para lá. No futuro vamos ter condições de influenciar até mesmo as pessoas que estão tomadas pela ignorância e diretamente envolvidas nesse projeto de destruição. Isso já acontece hoje com os espíritos elevados que nos dão assistência. Muitas vezes, quando você está tomado pela ignorância, um grupo espiritual se aproxima de você, para irradiar luz e te ajudar a se libertar do véu da ignorância e a se alinhar com o amor. Você pode dar o nome de anjos, espíritos ou o que quiser, mas eles são grupos de freqüências espirituais elevadas que se aproximam para irradiar luz para que você possa se desidentificar da ignorância e voltar para o seu centro de amor. Nós podemos fazer isso dentro do nosso corpo. Essa é a minha visão para uma sociedade elevada, para uma comunidade espiritual.
Nesse momento, a presidente recém eleita do Brasil está sendo pressionada por um grupo de empresários para assinar a autorização para a construção da hidrelétrica no meio da Amazônia. E tem centenas de milhares de pessoas fazendo um movimento para que ela não assine. Ela precisa de ajuda e aqueles que estão a pressionando também precisam de ajuda porque eles perderam a conexão com o mundo espiritual. Provavelmente eles vieram com a visão antes de encarnar, de serem canais para criar energia para ajudar o mundo. Energia física, material. Eles vieram com esse propósito, mas ao chegar aqui, o ego se apropriou da visão. A ambição tomou conta da visão e quando isso acontece a pessoa não respeita mais a vida. O dinheiro fica em primeiro lugar, o poder fica em primeiro lugar. Isso é uma desconexão com a visão espiritual. Ele se esqueceu do que veio fazer, se desconectou do propósito interno porque todo o propósito interno está a favor da vida; da elevação do todo; da união. Está a favor da vida em todos os níveis. Você respeita a vida em todos os reinos. Quando você precisa fazer um desmatamento, tem que ser sustentável, ou seja, respeitando todo o sistema. Você tem que fazer um acordo com os guardiões da floresta. Você tem que ter autorização dos Devas que tomam conta daquela região. É um conjunto, em prol do todo. Eles se permitem o sacrifício, mas desde que seja com respeito e amor, a favor do todo. Pouco a pouco vamos evoluindo para essa conscientização.
Pergunta: Trabalhar no universo da política é recomendável ou deve ser evitado?
Prem Baba: Nós devemos estar lá. Essa foi uma proposta que eu fiz para o Dalai Lama, que era de criarmos uma escola para políticos. Unir os jovens com talento para a política e dar educação espiritual para eles compreenderem o que vão fazer lá.
Hoje nós estamos fazendo um trabalho de coaching para vários políticos. São alunos meus que eu estou supervisionando. Já conseguimos grandes vitórias, tentando iluminar e acordar a consciência amorosa. Destes líderes, nós já tivemos grandes resultados. Essa é uma grande batalha, mas é a batalha do amor.
Pergunta: Uma pessoa iluminada está sempre presente no corpo?
Prem Baba: Não, ela está no corpo até o dia determinado e quando chega o dia determinado, ela entra em mahasamadhi e se dissolve na totalidade. Alguns, devido ao voto de bodhisatva continuam trabalhando no nível supramental até a hora de voltar para a Terra. Do contrário, ela se dissolve no absoluto.
Que a sua conexão com o Guru, possa aumentar a cada dia.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTE
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário