15 de mai de 2013

Satsang com Sri Prem Baba, 16.01.11 - Índia 2010/2011


Satsang, 16.01.11 - Índia 2010/2011

Temas: Sugestão de prática de autoinvestigação / O significado do nome espiritual.

Eu tenho sugerido que ao longo do dia você possa se perguntar: Onde estou? O que estou fazendo? Quem habita esse corpo?
Assim você, pouco a pouco, vai lembrando-se de si mesmo. Durante o seu dia, permita-se fazer essas perguntas. Vá imprimindo essas questões na sua mente até que você possa lembrar-se de fazê-las.
A mentira e a verdade caminham juntas. Você está dormindo e acordado ao mesmo tempo, mas vá se valendo desse fio de consciência objetiva que existe. Permita que essa parte desperta pergunte: Onde estou? O que estou fazendo? Quem habita esse corpo? Ao fazer essas perguntas, você amplia esse fio de consciência objetiva. Essa parte desperta cresce. Assim, pouco a pouco, você se percebe ocupando todo o seu corpo. Aos poucos você se sente completamente presente, aqui e agora. Você se percebe preenchendo esse corpo. Você, a consciência cósmica, a consciência divina, o eterno Um que age através de todos. Conforme você vai lembrando-se de si mesmo e ancorando a divina presença, é possível que você receba um nome espiritual.
Pergunta: Prem Baba ji, poderia falar a respeito do significado de um nome espiritual?
Prem Baba: Um nome não é você. A divina presença não pode ser classificada com um nome, mas para auxiliar no ancoramento da lembrança de quem você é, você recebe um nome que é dado para que essa presença divina se manifeste através de você. Esse nome tem o poder de um mantra. É uma forma de evocar a divina presença que habita no seu corpo. Mas, o ego pode facilmente se apropriar dele e você pode se envaidecer. Por isso, para que o nome espiritual seja um instrumento do seu desenvolvimento espiritual, ele deve ser dado pelo seu Mestre porque ele vai lhe dar no momento em que você está pronto para usar essa chave. Em algumas situações, o devoto intui o nome, mas é somente um Mestre espiritual que lhe dá esse presente para evitar um prejuízo na sua evolução e para evitar que haja uma cisão ainda maior com a sua personalidade.
Você não deve negar o seu passado, deve integrá-lo. Você não deve negar o seu nascimento, mas deve integrá-lo. E você faz isso quando se percebe como um filho abençoado do mistério do amor; quando pode purificar do seu sistema todas as mazelas. Assim você resignifica o seu nascimento. Quando se sente um filho abençoado do mistério do amor, você está pronto para renascer no espírito. Você está pronto para sustentar a divina presença no seu corpo. Você está pronto para esquecer que nasceu e para se perceber como o eterno que está atuando nesse corpo. Por isso mais importante do que o nome espiritual é a sua conexão com o seu guru, a conexão com o seu mestre espiritual. É a sua entrega para a guiança espiritual.
Tudo que é necessário para um buscador espiritual se realizar em Deus é a disposição para seguir as instruções. Se o buscador tem o verdadeiro desejo de seguir o que o mestre está lhe ensinado, ele se realiza. Porque você só sai do labirinto da mente com a ajuda de alguém que já saiu; seguindo as instruções de alguém que conhece o caminho. Isso é básico, elementar. Você não vai aprender a dirigir um carro com alguém que não sabe dirigir. Você pode tentar, mas você não vai aprender e vai desperdiçar o seu tempo e o seu dinheiro.
Eu digo que, para a entidade humana em evolução nesse planeta, talvez o elemento mais valioso seja o tempo porque, para se realizar em Deus, você precisa de um sistema nervoso; precisa estar num corpo e esse corpo é como uma bolha de sabão. Ele dura um instante. Então, não desperdice o seu tempo. Foque a sua atenção naquilo que é vital, evite distrair-se. A mente está sedenta de alimento. A mente quer conhecer e é isso que alimenta o estado de sono. Quando a graça divina lhe toca, não importa o que você sabe, você experiência o Um. Não importa se você é analfabeto ou uma pessoa cheia de conhecimento; se é rico ou pobre. O sol ilumina a todos por igual. O que vale é a sua disposição em receber a luz do sol. Se você fica escondido num quarto escuro, não recebe a luz do sol, mas se vai para fora, você recebe a luz e é iluminado. Não importa se você sabe ou não sabe. Não importa se você tem ou se não tem. Tudo isso é parte do jogo karmico. Eu não estou dizendo para você negar o seu jogo karmico. Mas, você precisa, nessa altura da sua jornada, saber o que é prioridade, o que é vital. Vital é você realmente seguir as instruções. Esse é o desafio do ego humano. Por isso que a travessia pode ser considerada um trânsito do medo para a confiança.
Então, quando você começa a ter vislumbres da divina presença, o mestre pode lhe dar um nome que vai te ajudar a sustentá-la. Esse nome pode ser somente um truque para te ajudar a sustentar a percepção do divino porque o nome da divina presença que ocupa o seu corpo só vem quando você já está podendo ocupar o corpo plenamente. Ai vem o seu nome por completo e você não se perde com a idéia de ser um nome. Você percebe que o nome é mesmo uma lembrança da sua verdadeira natureza. É uma lembrança de quem é você. Porque quando chega nesse estágio de lembrança de si mesmo, você é todos os nomes divinos. Todos os nomes divinos são seus nomes, embora tenha um que é predominante porque estamos encarnados num corpo que está submetido às leis da matéria e precisamos das palavras para nos comunicar. Ficaria muito difícil a comunicação se não houvesse um nome para chamar aquela freqüência luminosa que ocupa o corpo. Por isso um nome espiritual. O nome dessa freqüência luminosa que se manifesta naquele corpo. Esse nome está relacionado com o Dharma dessa freqüência, com a qualidade dessa freqüência, com os dons e talentos que ela trouxe para o mundo. Algumas pessoas chegam pra mim e eu logo dou um nome espiritual, mas alguns eu tiro o nome espiritual que elas já possuem. Eu digo para usar o nome de batismo que é melhor porque ainda há muitas contas abertas com o passado. Purifique um pouco esse sistema, se harmonize um pouco mais com o seu pai e a sua mãe que lhe deram esse nome. Honre esse nome que recebeu no seu nascimento e depois eu lhe dou um nome espiritual.
Se você recebeu um nome espiritual, você deve usá-lo. No começo, é uma transição até que você possa assumir esse nome plenamente. Quando a pessoa assume o nome plenamente significa que ela está manifestando plenamente esse Ser que está dentro dela. Enquanto ela ainda não pode assumir o nome é porque existem resíduos do passado para purificar e ela não se sente inteira para isso. Mas, durante uma fase na jornada evolutiva, ela usa o nome como um mantra, um sadhanapara ajudá-la a lembrar-se de si mesma.
Onde você está? O que você está fazendo? Quem habita esse corpo?
É isso, esse é o jogo que estou propondo. Você vem aqui, senta pertinho. Sempre temos boas conversas. Isso é o suficiente. Até que devagar você vai perdendo o medo que tem de mim e vai descobrindo que eu e você somos uma coisa só. Todas as barreiras de separação vão caindo e nós vamos nos tornando íntimos. Os nossos centros vão se encontrando num só coração. O coração é um só. A verdade é uma só. E quando sair daqui, após ter recebido darshan, você deve permanecer com essa energia e evitar conversas para não desperdiçá-la. Saia e continue com a energia, em silencio. Durante todo o dia você deve evitar essas conversas desnecessárias. Trate de colocar em prática a instrução. De tempos em tempos pergunte-se: Onde estou? O que estou fazendo? Quem habita esse corpo? Enquanto você está no mundo, passeando e desfrutando desse lugar tão mágico. Enquanto está se alimentando... Até que você vem de novo aqui receber outro darshan, cantar Prabhu Ap Jago e Gayatri, fazer puja, meditar e, nos espaços de tempo, fazer o seu guru mantra.
É assim que você se afina com a realidade espiritual e vai conseguindo compreender o que está acontecendo de fato, além do véu da dualidade. É assim que o seu coração se enche de contentamento. É assim que você experiência a alegria sem causa. Pouco a pouco. Primeiro você vai limpando e retirando o lixo do caminho. Chora um pouco aqui, fica com raiva ali, faz parte. Tem que lavar o coração das mágoas e ressentimentos do passado. Está tudo certo. Mas, continue seguindo as instruções. Continue firme no sadhana. E daqui a pouco nós nos encontramos. E quando isso acontecer será uma grande gargalhada.
Vamos cantar.
Que a divina presença ilumine o seu caminho.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTE

Texto retirado do site: prembaba.org