Satsang com Sri Prem Baba, 15.01.11 - Índia 2010/2011

Satsang, 15.01.11 - Índia 2010/2011


Temas: Pedido de ajuda a Maha Maya para evitar um desastre ecológico na Amazônia / História de Narad / Introdução aos passos para a sustentação do êxtase.




(bhajans)
Eu peço que possamos compartilhar um pouco dessa alegria e desse amor com alguns dos nossos irmãos que estão sofrendo muito nesse momento, principalmente no Brasil, onde as chuvas causaram grandes desastres naturais. Muitas cidades estão submersas. Centenas de pessoas morreram e milhares estão desabrigadas e sofrendo.
Outro fator desastroso que esta acontecendo no Brasil é que estão para liberar a construção da terceira maior usina hidrelétrica do mundo no meio da Amazônia. Isso significa a morte de milhares de vegetais e animais. Cerca de 40 mil pessoas, entre os indígenas do Xingú e os caboclos da região, não terão onde ficar.
Estamos fazendo um grande movimento através de um abaixo-assinado na internet, (https://secure.avaaz.org/po/pare_belo_monte/?vl) pedindo a ajuda para a recém eleita presidente Dilma. É um tremendo desafio porque tem muito dinheiro envolvido. O presidente o IBAMA se demitiu para não permitir isso, mas na verdade, quem manda lá é o dinheiro.
As cidades que estão sofrendo mais com as chuvas são São Paulo e Rio de Janeiro. Também na Austrália houve um Tsunami que cobriu uma cidade.
Maha Maya está brava. Vamos cantar para ela.
Oh mãe nos liberte desta escravidão, Maha Maya
Você é a mãe de toda a criação, Maha Maya
Só nos resta a sua compaixão, Maha Maya
Revele a verdade e desfaça a ilusão, Maha Maya
Maha Maya, que o véu da ignorância colocou sobre os nossos corações fazendo esquecer do amor
Essa sensação de separação trás tanta dor, Maha Maya
Este esquecimento que me afasta de quem sou
O grande mãe atenda as nossas preces, por favor
Assim como és mãe da criação, podes nos salvar
Assim como és mãe da liberação, podes nos libertar
Não dos deixes cegos na escuridão sem enxergar
Mostre a sua luz, Maha Maya
Prabhu Ap Jago Paramatma Jago, Maha Maya
Mere Sarve Jago Sarvatra Jago, Maha Maya
Os desastres naturais são esperados, mas com todo esse movimento, essa campanha sobre a sustentabilidade, alguém querer construir a terceira maior hidrelétrica do mundo no meio da Amazônia é muita estupidez.
Mas, hoje é um dia muito importante, um dia em que a misericórdia se manifestou neste planeta. Foi o dia em que Ganga veio a Terra. Conta o mito que ela vivia na Via Láctea e o principal passatempo dela era observar a humanidade. Ela foi assistindo a degeneração da consciência humana e foi sentindo uma tremenda dor de ver tudo isso.  Assim, ela sentiu vontade de vir para cá e auxiliar o ser humano a encontrar o caminho de volta. Mas, o Senhor Bhrama disse que se ela descesse o planeta não iria suportar sua força. Mas, o Senhor Shiva disse que a seguraria em sua cabeça. Então, ela desceu na forma de um rio.
Assim é nessa vida, quanto você menos espera tudo desaparece. As pessoas podem estar felizes ou tristes, ai vem o Tsunami e leva tudo. Não é? Você pode estar alegre ou triste, mas se passa um cometa por aqui, acaba tudo. E a gente ainda perde tempo brigando e competindo com os outros. A qualquer momento tudo pode desaparecer. Isso é real. E a gente ainda perde tempo sem celebrar a vida e continua de mau com ela. “Não ganhei minha bolachinha de “molando... Estou de mau.” Assim a vida passa e a gente ocupa o tempo todo com problemas. É problema pra cá e problema pra lá. (risos) E não desfrutamos nada! Você fica querendo entender tudo como se a vida fosse uma fórmula matemática e assim perde a vida. A vida é um mistério a ser desfrutado com o coração porque ele é que desvenda o mistério da vida.
Você já sentiu o cheiro de uma rosa? Muitas vezes tem uma rosa no seu jardim e você nem olha para ela de tão ocupado com tanta coisa que tem para sofrer. E de repente vem um Tsunami e acaba tudo.
Não percamos tempo sem amar! E você então pergunta: “E como é que eu amo?”
Oh My God! (risos) É verdade, eu sei que é desafiador.
Por exemplo, você diz assim: “Querido Prem Baba sempre que eu te vejo lágrimas vem aos meus olhos, parece que medo também surge. É medo do amor? Pode falar um pouco mais?”.
Medo de se dissolver no amor. Medo de desaparecer no oceano de amor. Quando o rio está em frente ao oceano, ele olha para trás porque tem medo de abrir mão da sua história, de tudo que viveu. Ele não quer abrir mão do que acredita ser. Ele carrega essa crença de que vai desaparecer. Ele não percebe que vai se tornar o oceano. Uma gota de água, quando cai no oceano, se torna o oceano. Mas, enquanto estiver identificado com a idéia de que é a gota, você tem medo de desaparecer. Esse é o grande medo. Ao mesmo tempo é o que você mais deseja. Esse é o grande paradoxo da vida humana. O que você mais aspira é o que você mais teme. Por isso é um processo que acontece aos poucos. Você começa a se dissolver, se assusta e volta. Assim, pouco a pouco você vai abandonando a idéia de “eu” e “meu”.
Você quer que eu fale mais sobre o egoísmo, mas é somente observar a vida do ser humano nessa Terra e você vai compreendê-lo. Todo mundo faz tudo somente para si mesmo. Todos só pensam em si para reafirmar a idéia de que é uma gota. Isso está tão cristalizado que você nem sente o outro. Você sente compaixão por quem está sofrendo? Se sim, é porque você é uma pessoa rara; uma flor rara nesse jardim porque já pode dissolver muito do seu amortecimento. Então você pode ter empatia e pode se colocar no lugar do outro. Em algum grau você pode.
Quanto maior a dor, maior o anestesiamento e menos você sente os seus próprios sentimentos e os do outro. Você vê o outro sofrer, mas pensa “graças a Deus que não sou eu”. Alguns chegam até a sentir prazer nisso. Alguns ainda conseguem falar “bem feito”. Porque estão com o coração cheio de ódio.
Uma criança de 5 anos acabou de perder a toda a família na inundação. Ela perdeu mãe, pai, irmãos e ficou sozinha. Como ela sobrevive? Tem que anestesiar. E depois ela vai se vingar do mundo de alguma maneira. Pode ser de uma maneira objetiva ou subjetiva.
De acordo com o programa da alma, você consegue dissolver algumas camadas desse amortecimento e, assim, pode sentir o outro. A partir daí você começa a ir além do egoísmo e a querer ver o bem do outro; começa a rezar por ele, de verdade. Isso significa que o seu coração começou a abrir, a se iluminar e a manifestar a verdade do seu Ser.
Essa vida é um trânsito do egoísmo para o altruísmo. É isso que você aprende na sua família e nos seus relacionamentos. Eu tenho dito que as relações humanas são a universidade dessa vida. São a chance que você tem de aprender a se doar. Essa doação não significa que tem que executar um ato material. Muitas vezes só pelo fato de não falar mal você já está fazendo muito bem. Só o fato de você não julgar o outro, já faz muito bem. E quando pode não julgar, não falar mal e, além disso, emanar uma benção para o outro e realmente desejar que ele seja feliz, ai você está subindo.
Como eu falei para vocês, começamos purificando o sistema e se libertando das marcas de ódio e medo e depois trabalhamos para ampliar a energia. A ampliação da energia é o primeiro passo para sustentar o êxtase. O segundo passo é você irradiar conscientemente o amor para o outro. É você emanar bênçãos conscientemente. O terceiro passo é você perceber a sincronicidade. Asincronicidade é o universo falando com você. São as coincidências misteriosas. Todo o evento sincrônico está querendo te mostrar alguma coisa. São setas no caminho. E você deve estar atento as sincronicidades porque elas estão mostrando o próximo passo na sua jornada evolutiva. O quarto passo é você renunciar a necessidade de querer que as coisas terminem da forma que você esperava. É você abrir mão das expectativas. Você apenas vive cada momento como o único, e aceita tudo que a vida tem para te dar. Se você pode praticar esses passos que estou sugerindo, você sustenta o coração aberto. Se estiver presente, com o coração aberto, você compreende o porquê das coisas. Você sente compaixão e empatia, mas não se perde no sofrimento do outro. Você dá, mas não se perde. Esse é um aprendizado fino: dar sem se perder.
“Nas cores vivas do arco-iris
Morada de todo poder
Vem o ensino do dom divino
Aprender a dar sem se perder”
E tudo isso é para você se lembrar de que está aqui para buscar um pouco de água para o Senhor Krishna. Lembram dessa história? Eu conto ela muitas vezes, mas esses contos divinos eu posso contar quantas vezes quiser.
Narad queria compreender Maya. Então ele foi até o Senhor Vishnu e disse: “Eu preciso entender Maya, o que é Maya?”. Vishnu respondeu que não é possível entender Maya e disse: “Venha comigo”. Ele colocou Narad no seu veículo, o pássaro Garuda, e eles foram até o deserto. Lá estavam andando quando o Senhor começou a sentir uma secura na garganta. “Narad, estou com sede, por favor, consiga um pouco de água para mim”, disse o Senhor Vishnu. Um devoto verdadeiro está sempre disposto a fazer qualquer cosia pelo seu mestre porque é a chance de receber uma benção. Fazer um favor para o mestre é uma das maiores graças. Narad sabia disso e se apressou para tentar achar água até que ele avistou um vilarejo onde havia um poço. Quando ele chegou perto, viu que lá havia uma moça. Ele olhou para a moça e falou: “Nossa!”. (risos) “Ela parece uma Apsara, uma bailarina celestial”. “De onde surgiu essa Deusa?!” Ele se encantou com a mulher. Ele perguntou: “Posso pegar essa água?”. Ela disse sorridente: “Pode, claro!”.
Quando ela foi embora, ele foi atrás dela, hipnotizado. E quando chegaram na vila onde ela morava, havia um homem esperando por ela. Era o pai da moça. O homem perguntou o que ele queria. Ele foi logo dizendo que queria se casar com a filha dele. Mas, o pai respondeu imediatamente: “Não é bem assim! Você quer casar com a minha filha, então terá que assumir algumas responsabilidades. Eu sou o administrador dessa vila. Se você quer casar com ela terá que assumir a administração da vila”. Ele pensou: “Para casar com essa Deusa, só isso?”. Ele aceitou.
Então eles se casaram. Foi um casamento estilo indiano com cinco dias de festa. Narad foi abençoado com vários filhos. Era aquela criançada correndo na casa, para lá e para cá. Brinca e derruba... aquela coisa de criança. O pai da moça morreu e Narad se tornou o administrador da vila. Ele se mostrou um excelente gerente e a cidade cresceu prospera. As crianças cresceram felizes. A cidade estava satisfeita e ele tinha bastante dinheiro guardado. Até que um dia veio um Tsunami e cobriu tudo. Narad entrou em desespero total e absoluto tentando salvar a família porque se viu tendo que escolher entre um filho e outro. Todos gritavam pedindo ajuda. Ele conseguiu pegar um barco, mas o barco virou e ele foi perdendo um por um. Perdeu todos. Ele entrou num profundo desespero e chorava copiosamente até que ouviu uma voz dizendo: “Narad, onde está a minha água?”. Só então ele se lembrou de Deus (porque é só nessa hora que você se lembra dele). e disse “Senhor, por favor, traga de volta a minha família!”. “Narad, acorde, nunca houve mulher e filhos, tudo isso era Maya” – respondeu o Senhor Vishnu. “Você não queria saber sobre Maya?”
Tudo foi somente um sonho que criado para ensiná-lo o que era Maya.
Onde é que você está neste sonho? Eu estou dizendo: “Narad, cadê a minha água?”. Esse é o significado do mantra Prabhu ap Jago. É outra tradução. Você pode traduzir como “Deus desperte em todos e em todos os lugares, acabe com o jogo do sofrimento e traga luz para o jogo da alegria” ou pode ser “Narad, cadê minha água?”. (risos) Acorde do seu sonho seja ele um sonho bom ou um sonho ruim.
Que dia lindo! São beijnhos de Deus.
Muito bem, estamos trabalhando. Eu estou fazendo um trabalho com você. A temporada tem início, meio e fim. Esse é o começo.
“Oh meu pai com todo o amor
Nos entrega estes ensinos
Para vir nos corrigir
As caduquices de menino”
Estamos pedindo ao pai celestial, com todo o amor, para vir nos curar das feridas do passado, as feridas da nossa criança ferida.
“Vejo rumores de guerra em todo o lugar”
Dentro e fora, em todo o lugar.

Peço firmeza a verdade
Vamos todos batalhar
Vamos fazer um bom combate
A batalha do amor”
Vamos usar a espada da verdade para realizar a batalha do amor.

“Aqui dentro dessa casa temos tudo que aprender”.

Dentro da sua casa você tem a chance de aprender tudo que precisa.
“Que o estrondo esta formado
Os pedidos foram feitos
Agora esperamos para ver o que vem
Ninguém mais pode entender”
É um lugar além da mente, é só se render para o poder e deixar ele te guiar. Abandonar o controlador.
Nenhum não se domina, o poder é que me leva
Vou seguindo neste rumo da estrela do oriente
Para onde quer que eu olhe vejo deus em minha frente”
Estamos indo para este lugar. Para ver Deus em tudo. Ai a sua fé vai estar fortalecida como aço.
A sua mente tem até dificuldade de entender o que eu estou falando, mas não se incomode. A partir de amanha fica mais claro de novo. Eu estou chamando o poder para ele vir nos defender.
Tudo é uma coisa só: dentro e fora. Você somente precisa um pouquinho de confiança e coragem para fazer um bom trabalho.
Eu estou bem animado para trabalhar. Estou bem disposto. Já descansei e agora estou animado. Eu vou caçar os eus escondidos. Eu estou preparado com o laço na mão. Vamos lá.
Que a compaixão e a misericórdia possam despertar no seu coração.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTE

Texto retirado do site: prembaba.org
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário