Satsang do Sri Prem Baba, 09.01.11 - Índia 2010/2011


Satsang, 09.01.11 - Índia 2010/2011

Temas: O caminho da devoção / A diferença entre sentimentos negativos e intencionalidade negativa
(música do Marcus)
Prem Baba: Vocês me perguntaram sobre o caminho da devoção. Essa música fala bem sobre esse caminho.
Um bhakta é um amante de Deus. Ele acorda para Deus. Ele se banha para Deus, se veste para Deus... Tudo o que ele faz é para Deus. Cada conjunto de ação é uma prece. O bhakta vai, pouco a pouco, tirando tudo da mente e deixando somente Deus, na forma divina escolhida para sua devoção, que é a sua porta de acesso para os planos superiores. Você escolhe uma forma e se fixa nela; Não distrai a sua atenção com mais nada. Até que em algum momento você se dissolva e se torne um com essa manifestação divina.
Pergunta: É possível entregar-se espiritualmente e continuar trabalhando num mundo capitalista como hospitais, bancos, indústrias... já que a freqüência desses lugares é diferente?
Prem Baba: Se você está a serviço do divino, não interessa onde esteja você está onde Deus te coloca. Eu tenho uma devota que diz que o trabalho dela é fazer todos os dias Prabhu Ap Jago na casa branca. Ela trabalha lá e passa o dia cantando esse mantra. Você deve estar onde Deus te coloca e então trabalhar para ele. As vezes é desafiador porque há lugares que as forças contrárias são muito intensas. Existem lugares onde o campo de prece é praticamente zero, então depende só de você. Mas, se você está a serviço; se o amor divino te colocou ali, então faça o seu melhor para elevar a vibração desse lugar. E esteja atento para o momento em que precisa sair para se reabastecer. Quanto mais o ambiente for desprovido de energia espiritual; quanto a maior a ilusão de separação, maior a disputa e a competição e é claro que mais desafiador será e mais você precisará estar bem consciente do seu propósito. Se a consciência do propósito enfraquece, você corre perigo. Então, é importante sair para se reabastecer. Ao sair, você se lembra do propósito interno que fez com que você estivesse naquele lugar realizando aquele propósito externo.
Quando existe esse alinhamento entre o propósito interno e o externo; quando você tem clareza do serviço, não importa onde você esteja a conexão está estabelecida e você é alimentado espiritualmente. Você recebe inspiração e energia da fonte e faz aquilo que precisa ser feito. Se você realmente é um ser espiritual, onde quer que esteja você trabalha para espiritualizar aquele lugar. Onde quer que esteja você esta irradiando bênçãos; está trabalhando para iluminar os pontos sombrios. Não importa em que área seja da sociedade, é fundamental que as pessoas espirituais possam ter essa consciência do serviço e que possam ir para o mundo para canalizar o amor divino e as suas bênçãos para aliviar o sofrimento da humanidade. O sofrimento é causado pela ausência da luz. Se puder ser um canal da luz, você estará auxiliando para diminuir o sofrimento. Você estará servindo ao propósito superior de transformar o sofrimento em alegria. Você terá a oportunidade de ser um exemplo. Quanto mais afinado com o amor, mais você terá para oferecer através do exemplo. Porque se você está afinado com a verdade e com o amor, você vai manifestar exemplos espirituais. Você vai dar exemplo de humildade, de reverência, de cooperação, de união, de não violência. Você vai mostrar que está inteiro manifestando o que o seu coração determina; vai mostrar que você está onde o seu coração está te levando e por isso está inteiro. Você sabe por que levanta de manhã. Porque você está alinhado com a verdade do seu coração. Assim você é um canal da luz para aliviar o sofrimento da humanidade.
Mas, é claro que estando a serviço no mundo, de tempos em tempos, você precisa se reabastecer. Quanto mais intenso o lugar, maior e mais intensa deve ser a sua conexão com o seu mestre espiritual. É necessário estar disciplinado no seu sadhana, nas suas práticas espirituais, para poder sustentar a conexão que está alimentando a sua existência e mantendo acordada a lembrança do que você está fazendo naquele lugar. Certa vez eu falei para o meu guru: “O que vou fazer lá no mundo? Meu lugar é aqui aos seus pés. Eu já recebi tudo que eu precisava, agora é só ficar aqui”. Ele disse: “O mundo precisa de você. Durante dez anos da minha vida eu viajei, ficando no máximo uma semana em cada cidade. Então, vá para o mundo”.
A natureza do mundo é te tentar; é tentar te pegar. Não tem nada errado com o mundo. Ele é assim. Cabe a você estar consciente disso e não se deixar ser pego. Você escorrega quando cai na vaidade e na autoria. Você escorrega quando perde a consciência do serviço. Ai você é pego. Essa é a grande armadilha. Você fica lá se achando a gotinha e disputando pela atenção do outro. Querendo ser mais importante, mais especial... E ai “adios”. (risos) Você tem que sofrer e passar pelo que tem que passar até que possa voltar e se reabastecer. Até que possa receber uma chuva de amor e de luz para dissolver essa camada que foi criada ao seu redor e que te fez esquecer quem é você, do que você está fazendo no mundo e porque você levanta de manhã. A chama da conexão deve ser diariamente alimentada pela prática espiritual e essa prática é pessoal. Nós falávamos a respeito do caminho da devoção que é um dos caminhos. Nesse caminho, não importa onde esteja você mantém sua conexão, mantém a lembrança de que você é somente um instrumento do divino e do seu grande amor, do seu amado. Deus é o seu amado. Ontem eu falava a respeito do caminho da devoção e hoje estou falando sobre o caminho da devoção. Esses caminhos, em algum momento, se unem. Eles se unem quando você está no mundo. É o serviço que une o caminho do amor e o caminho da meditação. Se você está a serviço não importa em qual caminho você está. Não importa se a sua pratica é derreter de amor ou ficar total na ação. De qualquer maneira você está a serviço. Você está realizando o propósito do seu coração que é o propósito do guru, que é o propósito deparamatmam, o propósito de Deus. Porque a verdade é só uma. Deus fala através do seu coração, o guru fala através do seu coração. Você segue seu coração, você está seguindo Deus. É um raio de luz, um raio de orientação divina que se manifesta através da sua intuição, da sincronicidade – que é a linguagem da existência e que você deve aprender a perceber, independentemente de estar seguindo o caminho do amor o caminho da meditação. Você deve estar atento a sincronicidade e ao seu coração que te conduz. É o grande mistério divino que te conduz.
Aqui na Índia eu entro muito em conflito com a cobrança dentro de mim de que tenho que ir a todos os pujas. Que vou chegar no meu destino final de puro amor, somente se eu fizer os pujas. Eu sinto muita culpa por não ir. Você pode falar um pouco se isso faz sentido.
Não, não faz nenhum sentido. Porque você tem que seguir o seu coração. Se o seu coração pede pra você ir ao puja, você vai. Se não, não vai. Não se esquece da qualidade máxima que é a liberdade. Você é livre. Você vem aqui por amor, você vem porque quer. Seu coração o trouxe aqui. O seu amor por mim te trouxe aqui. Então, quando esse mesmo amor estiver te levando para o puja, você vai, caso contrário, não force porque será uma oração mecânica. O valor da oração está na sinceridade. Não importa a forma de oração, se é um puja ou um diálogo com o divino; se é uma oração tradicional. Só vai ter valor se estiver fazendo com o seu coração. Procure se libertar da obrigação. Quem está te obrigando a ir? Talvez seja mais valioso se você avaliar quem está querendo ir. Isso é importante. Quem em você quer ir? Quem em você não quer ir? Quem te obriga a ir? Identifique esse eu.
Eu disse que antes de você poder se dedicar a pratica da meditação no vazio focalizado e obviamente até antes de você poder se entregar para o caminho da devoção, é importante que você trabalhe na sua auto-investigação para poder eliminar as barreiras que estão te impedindo de seguir o caminho do amor ou da devoção. Identificar quem está te obrigando a seguir certo caminho já quer dizer que você está no caminho.
Você pede para que eu explique a diferença entre sentimentos negativos e intencionalidade negativa.
Essa prática de auto-investigação e autoconhecimento que prepara o caminho para a meditação ou para a prática devocional. É esse trabalho de transformação do não para a vida. É a transformação da parte da personalidade que está comprometida em sabotar a felicidade e a realização. Quando você se aprofunda nesse estudo de si mesmo, você começa a identificar vários aspectos que se manifestam no seu psiquismo. Você começa a identificar muitos pensamentos, sentimentos e começa a compreender como que funcionam esses aspectos. Você começa a perceber que existem sentimentos negativos que são oriundos das matrizes do eu inferior. Pensamentos oriundos da gula, da preguiça, da avareza, da inveja, da ira, do orgulho, da luxúria, do medo, da mentira. Você começa a compreender que essas matrizes são complexos autônomos que agem como entidades. Essas matrizes foram desenvolvidas para te proteger dos choques de dor. E dependendo de como foi o choque; de como a sua mente foi condicionada, uma ou outra dessas matrizes do eu inferior predomina na atuação do seu psiquismo, gerando pensamentos que por sua vez te impelem a agir gerando karmas e uma serie de ações e reações que geram sofrimento. Porque essa ação que nasce desses pensamentos que são promovidos pelas matrizes do eu inferior, na verdade não são ações puras, elas estão contaminadas pelo ódio de ter sido machucado. A rosa tem espinho. Em algum momento você vai espetar o dedo. Você vai criar uma doença porque você não aceitou a dor. Essa ação que esta contaminada, eu costumo chamar de reação. É uma reação que nasce do mecanismo de defesa, não é algo que vem do seu coração, ela vem do seu aspecto ferido que está revoltado, que está com medo. Isso vai gerando cada vez mais reações que geram mais e mais sofrimento. Todos esses sentimentos que nascem dessas matrizes como o ciúme, inveja, vingança, raiva, etc, tudo isso são sentimentos negativos. Tudo isso passa por você. Isso surge do seu próprio psiquismo e da sua mente condicionada. Muitas vezes você simplesmente é um canal do sentimento que está passando no ambiente, mas como você está vibrando na mesma freqüência, você é um canal para esse tipo de energia. Isso acontece, você é tomado por um sentimento. Você até tenta fazer diferente, mas não consegue. Você tenta não ser ciumento, mas não consegue. O ciúme simplesmente toma conta de você. Você não quer sentir-se inferiorizado, mas você é tomada por esse sentimento. Você não quer ser arrogante, mas é tomado peal arrogância.
Nesse processo de autoconhecimento é importante identificar esses sentimentos, essas matrizes que estão dando origem a esses sentimentos e pensamentos e fazer a relação de causa e efeito descobrindo porque você está agindo assim. Mas, a identificação desses sentimentos, embora seja uma fase fundamental e realmente necessária, não termina ai. É importante dar mais um passo e possa localizar a intencionalidade negativa que é uma intenção deliberada de ser um canal desses sentimentos negativos. É localizar uma intenção deliberada de praticar o mal, de se machucar e machucar o outro. Como você percebe que o ciclo vicioso do sado masoquismo está atuando em você? Através das repetições negativas na sua vida. Se existe um ciclo vicioso sadomasoquista atuando, claro eu isso vai se manifestar na sua vida externa. Mas, conforme você vai se aprofundando no autoconhecimento, você descobre que não é uma vitima dessas repetições, nem desses sentimentos negativos que atuam em você. Você descobre que existe dentro de você um agente que está comprometido com o sofrimento; em se machucar e machucar o outro.
No início do processo de autoinvestigação isso parece uma grande loucura, parece absurdo, mas eu aviso que, se existe uma repetição negativa acontecendo na sua vida e se você se dedicar a autoinvestigação você vai encontrar uma voz dentro de você que diz: “Eu não quero dar certo”; “Eu não quero a união”; “Eu não quero o amor”.
Esse que esta realmente manifestando essa intenção utiliza os sentimentos negativos para atingir a sua meta, mas são coisas diferentes. Esse ato sadomasoquista é um ato inconsciente, mas ele não esta tão escondido, com um pouco de dedicação você encontra. E quando você encontrar o general do mal dentro de você, você deve pedir para mostrar qual é o seu plano. qual é a forma como ele sabota a felicidade na sua vida. Esse general está a serviço de proteger você. Ele nasceu porque você experienciou um golpe muito grande de dor. É daí que nasce esse pacto, esse não fundamental para o fluxo da vida. Nós podemos resumir chamando isso de controle. Essa é uma forma de controlar o fluxo porque você não confia porque você acha que vai se machucar de novo e vai repetir a dor.
Então, o processo de autoinvestigação se refere ao que eu chamo de ABC da Espiritualidade. É o que eu chamo de processo de purificação ou processo de transformação do eu inferior. É somente quando você progride em algum grau nesse processo de purificação é que você pode se comprometer intencionalmente com o caminho da meditação ou com o caminho do amor que se manifestam naturalmente. A meditação ou a devoção simplesmente surgem. Quando o caminho está limpo, simplesmente surge. Se a sua tendência é seguir o caminho do amor, vai acontecer. Se a tendência é o caminho da meditação, você vai estar presente. Você vai ter esse impulso para a prática espiritual, mas enquanto existem essas marcas no seu sistema, você é puxado para trás. É isso que faz você esquecer o seu propósito no mundo. É isso que faz você esquecer a razão porque você acorda pela manhã.
O que eu noto é que uma fase não termina para a outra começar. Você vai trabalhando em todas essas esferas na medida em que elas se mostram para você. Então, se você está no caminho da devoção, mas em determinado momento você sentiu um bloqueio, sentiu que sua consciência rebaixou, então use a autoinvestigação para identificar o que está rebaixando a sua consciência. Vai chegar um momento na jornada espiritual que você não precisa mais usar a autoinvestigação porque você já compreendeu o jogo. Então, você não dá mais atenção para os pensamentos quando eles surgem. Você apenas dribla e continua focando na sua prática.
Eu volto a dizer: Você vai usar o processo de autoinvestigação quando a trilha estiver se repetindo e a coisa esteja te pegando sem você poder controlar.
Veja as freqüências de trabalho. Quando estávamos falando sobre meditação, lembre-se como você ficou.  Você estava presente, vivo, cheio de disposição. Agora pouco nós estávamos falando sobre o caminho da devoção, foram muitas lagrimas caindo, muitos corações escancarados. Agora estamos falando sobre a autoinvestigação e sobre localizar a intencionalidade negativa, perceba como você está se sentindo. Veja como vem um estado de alerta e um mecanismo de defesa. O mecanismo de defesa quer continuar por isso é preciso muita determinação para continuar no processo de descondicionamento. Você precisa ter muita disposição de estar sempre recomeçando.
Comentário: é importante lembrar que você não é o mecanismo de defesa.
Prem Baba: Você não é o mecanismo de defesa, isso é somente uma parte do porão da sua casa. É somente um aspecto da sua personalidade que ainda está separado, ainda não foi integrado porque não foi identificado e elaborado.
Que o amor e a sabedoria possam iluminar os seus passos.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTE

TEXTO RETIRADO DO SITE: http://www.prembaba.org/
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário