27 de mar de 2013

Satsang com Sri Prem Baba, 03.01.11 - Índia 2010/2011


Satsang, 03.01.11 - Índia 2010/2011
Temas: Identificar as pessoas e situações nas quais não podemos estar de coração aberto / Proposta de auto-diagnóstico
Prem Baba: Como tem sido a experiência de partilhar o seu ouro espiritual? Está sendo possível? É de grande valia identificar as situações e as pessoas com as quais você não pode manifestar a verdade do seu coração. Pode ser muito útil identificar os momentos em que você precisa se fechar e se defender. Os momentos em que você não pode manifestar a sua consciência amorosa. Identifique inclusive as pessoas com as quais você não pode ser você mesmo, não pode ser espontâneo. É muito útil identificar os momentos em que você precisa fingir e usar a máscara do carente ou do agressivo, do autosuficiente ou do indiferente. Porque, ao identificar esses momentos e essas pessoas, você tem uma importante pista a respeito das áreas da sua mente que ainda estão condicionadas e precisam ser focalizadas. São áreas que ainda estão mantendo os sentimentos suprimidos, guardando sentimentos negados que por sua vez fazem com que o controlador esteja no comando da personalidade. É claro que essas situações e pessoas estão somente servindo de espelho para essa área condicionada da sua mente. Elas estão somente revelando o passado que ainda não foi liberado do seu sistema.
Talvez o fechamento não se manifeste especificamente com uma pessoa ou numa situação específica, mas em relação à própria vida. Nesse caso a projeção está sendo direcionada para a vida. Então, isso indica que existem imagens congeladas no seu sistema que te impedem de se abrir e confiar na vida. Então, cada vez que você se perceber fechado ou objetivamente reagindo na forma da vítima, do agressivo ou do indiferente, compreenda que tem um bom material de estudo em suas mãos. Você tem uma pista que te leva para a sua área de bloqueio, te leva para o trauma onde a sua consciência está fixada. Onde a correnteza do amor está bloqueada. Aproveite essa pista e mergulhe fundo dentro de si mesmo.
A minha sugestão para você que viajou de tão longe para receber uma benção, um milagre, para ser tocado pela graça, é que você se recolha. A partir de agora, o quanto mais você puder ficar quietinho consigo mesmo, mais profundo você vai dentro de si mesmo. Não é preciso se isolar, não é isso que estou propondo. Você pode ter os seus momentos de expansão e de troca com o mundo, mas inclusive nesses momentos esteja também atento para não se distrair. Você faz o seu movimento de expansão porque é necessário, mas depois volta para si mesmo. Procure ficar em silencio, somente se observando e observando o que se passa. Pratique o seu mantra ou simplesmente focalize no vazio. A medida que essas pistas vão sendo mostradas você pode focalizar nelas. Se você identificou uma situação ou uma pessoa com a qual você não pode ser espontâneo, queira ver o porquê. O que essa pessoa provoca em mim que faz com que eu me feche? Porque eu não posso ser eu mesmo na frente dessa pessoa? Quem eu estou vendo nessa pessoa? Assim você vai começar a ter uma idéia mais clara da ilusão que está encobrindo a sua fonte de amor.
Se você não pode manifestar a sua essência, há uma pista. Ali existe uma projeção. Se existe projeção, existe medo no seu sistema. Se há medo, há ódio e se tem ódio, tem orgulho. Esses pontos precisam ser identificados para serem transformados.  A prática continua sendo a prática da lembrança de si mesmo. A lembrança de si mesmo é possível quando você está sendo total na ação e quando o observador está acordado. A auto-observação e a totalidade na ação. Esteja presente em cada ato, não importa o que estiver fazendo, nas mínimas coisas. Aquelas coisas que aparentemente não teriam nenhuma importância. Se você for tomar um copo de água ou usar o banheiro, esteja total na sua ação, completamente presente. Lembre-se de simplesmente abandonar o pensamento compulsivo quando ele chega. Quando o sofredor começa a se anunciar simplesmente descarte-o e foque na ação, como uma flecha em direção ao alvo. Mas, se você percebe a repetição chegando, a insistência naquele pensamento; o sofredor querendo tomar conta e você se percebe se fechando, aproveite essa pista. Qual é a situação? Quem é a pessoa? O que essa pessoa está fazendo que está provocando esse fechamento? O que ela está falando que está causando essa reação em mim? Tente não se perder na necessidade de brigar com o outro. Ele é somente o seu professor. Ele está te dando um presente que é a chance de descondicionar sua mente. Ele está mostrando onde sua mente está condicionada e que ainda existem pontos para serem purificados no seu sistema. É a compaixão divina que permite que essas pessoas cruzem o seu caminho. Se você continua firme nesse propósito, logo você poderá agradecer essas pessoas.
Por exemplo, se o que te fecha é uma pessoa que você acredita que não te respeita ou que ela não reconhece o seu valor. Talvez não reconheça mesmo e talvez te desrespeite mesmo, mas compreenda que você precisou atrair essa pessoa para lhe mostrar a área em que sua mente está condicionada. Esse é um presente de Deus que colocou essa pessoa no seu caminho e que está vibrando na freqüência do seu condicionamento para poder acioná-lo para que você tenha a chance de descondicionar e se libertar do passado. Se você ainda está reagindo, isso significa que ainda existem mágoas e ressentimentos no seu sistema. Você está projetando nessa pessoa, o seu passado.
A misericórdia divina coloca essas pessoas que estão vibrando na freqüência do seu passado para que ele possa vibrar e acordar para que você possa iluminar o perdão, a gratidão e o amor.  Uma coisa leva a outra. Quando você perdoa, você agradece e se você agradece, você ama. Mas, você somente vai aproveitar esse presente se estiver compreendendo o porquê disso estar vindo para você. Se você ainda estiver distraído com a falácia do eu inferior que diz que o outro está contra você, que o mundo está contra você, você perderá essa chance. Ai você vai perder o seu tempo numa guerra inútil e vai desperdiçar o seu tempo. Mas, se estiver atento ao ensinamento, vai logo poder acordar essa memória e vai poder iluminar esse canto da sua alma que ainda está escuro. É uma chance de remover essa camada de projeção; de remover essa lente que distorce a percepção da realidade.
Se nós podemos enxergar a vida dessa maneira, percebemos que o amor está por trás de tudo. É o amor que move tudo. É a misericórdia divina que move toda a vida. O poder central que move a vida é a compaixão. É esse poder central que promove os encontros e desencontros. É que te dá e que te tira. Com a intenção única de acordar a sua consciência amorosa e de te lembrar que você e essa fonte de poder são uma coisa só. Ninguém está contra você. Essa é a principal estratégia da ilusão e do eu sofredor. É fazer você acreditar que o mundo está contra você, que tem alguém lhe fazendo mal.
Porque você acha que tem alguém ou uma força contra você? Porque você se machuca. Porque dói nessas situações. Isso acontece porque a mente está condicionada e a situação toca naquele ponto que está condicionado; toca na dor que está plasmada no seu sistema. Mas, como não foi possível ainda compreender o jogo, você fica sentindo a dor e achando que existe uma força ou alguém contra você. Essa é a importância do conhecimento. Porque por mais que esse conhecimento ainda não tenha se transformado em sabedoria, porque isso somente acontece através da experiência, você já sabe (pelo menos num nível de percepção) que a vida está ao seu favor e que tudo que acontece nessa vida é para que você se realize no amor; para que você possa abrir o seu coração; para que você possa amar a tudo e a todos assim como o sol ilumina a tudo e a todos. E quando você puder reter esse estado, você vai poder ajudar aqueles que ainda não enxergam.
Outro exemplo: você atrai uma pessoa que te rejeita. Porque você faz isso? Proque você tem um condicionamento que determina que você precisa ser rejeitado. Porque há culpa no seu sistema. Se há culpa, há autopunição. E se você não tem consciência desse padrão, você terá que atrair alguém que te rejeita e que te puna. Você tem que atrair alguém que te maltrate, para você poder ver que existe alguém dentro de você se maltratando. O outro é somente um espelho. Quanto mais você considera o outro um inimigo, maior poder ele tem de te iluminar. Ele é o seu maior mestre porque ele está justamente espelhando aquele ponto que está completamente escondido dentro de você e você ainda não pode identificar e está bloqueando a expressão da sua consciência amorosa.
A vida é um guru. Ela está te levando para a iluminação porque esse é seu destino, reconhecer a sua natureza divina; reconhecer-se como uma fonte infinita de amor. E a vida está te levando para realizar o seu destino. Você pode aproveitar esses ensinamentos e realizar esse trânsito de uma forma confortável ou pode ficar parado, sofrendo, vítima da ilusão de que o mundo está contra você. Assim você tem motivo para se vingar e para manter o coração fechado. O que eu quero dizer com coração fechado é vingança. “Nossa, Prem Baba, que pesado!”. É verdade, vá procurar que você acha. O coração fechado significa que você está culpando alguém. Essa é a forma mais sutil da vingança. Eu estou dizendo que essa é uma oportunidade para você poder superar as defesas e abrir os braços para a vida, para o grande mistério.
Essa é uma oportunidade de cura das mazelas da alma. É uma chance de libertar o seu sistema dos choques de abandono, exclusão, humilhação e rejeição.
Vamos continuar nesse exercício? Vamos um pouco mais?
Se vocês tiverem dúvidas, sobre isso ou sobre qualquer outra coisa, vocês podem escrever que eu vou responder assim que possível.
Eu procuro nesses encontros, quando faço uso da palavra, ser bem prático e objetivo. Eu tento lhe dar uma ferramenta para que você possa colocar em prática. Essas palavras podem servir para alguns e não servir para outros. Isso não é o mais importante. O que é mais importante é que estou transmitindo além das palavras, mas as palavras também têm serventia. Vamos sentindo qual é a necessidade. O que é que você realmente precisa para transitar de onde você está para onde você pode estar. Então, eu vou poder te oferecer uma ajuda mais especifica. Quanto mais clareza você tem de onde você está e do que precisa, mais fácil é o trabalho. Por isso eu começo a temporada propondo um auto-diagnóstico.
Quando eu vou conhecendo o grupo, eu vou oferecendo, além do darshan, outras atividades. Quem sabe um dia desses nós possamos passar o dia todo juntos, meditando, conversando... Para irmos bem fundo.
Um ou outro precisam de um trabalho de cura e eu vou oferecendo também de acordo com a necessidade. Alguns só precisam ficar aqui pertinho, mais nada. Alguns precisam ficar aqui somente sentindo a energia que estou emanando e dando suporte para os demais. É assim que trabalhamos.
PERGUNTA: Eu preciso de ajuda porque estou sentindo bastante raiva. Uma pessoa amada morreu esse ano e eu tenho muitos sentimentos que deixei passar, mas eu sinto bastante raiva dele.
PREM BABA: Eu vou te ajudar a lidar com isso.
Vamos cantar um pouco.
Lembrando que é tempo de recolher a sua energia.
Até o nosso próximo encontro.
NAMASTÊ!
Texto retirado do site: http://www.prembaba.org/pt-br/satsang/satsang-030111